2012-11-01


I

A morte na morte se termina.
E amamos na esperança que a alimenta
não a transparente ferramenta
mas a alma que passa e se ilumina.

Porque estarmos na morte nos designa.
E a própria virtude que a sustenta
nela se afirma e nos ensina
a iluminar também a ferramenta

por onde a alma se ilumina e passa.
E estar na morte segue o seu destino
de saber que por esta morte baça

ir à morte é lermo-nos num signo
que se acende somente, repentino,
quando lermos é lido em obra e graça.

Fernando Echevarría, Media Vita [1979]